Home

Manauscult apresenta o Prêmio Manaus Conexões Culturais ao Ppgccom da Ufam

 

O diretor-presidente da manauscult, Bernardo Monteiro de Paula, apresentou o edital aos coordenadores do Ppgccom e Ppgsca da ufam, a primeira instituição visitada pela pasta

 

Nesta segunda-feira, 29/05, o diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), Bernardo Monteiro de Paula esteve apresentou o edital  Prêmio Manaus de Conexões Culturais aos coordenadores do programa de Pós-Graduação em Comunicação e Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).  A instituição federal é a primeira das instituições que serão visitadas pelo gestor.

 

De acordo com Monteiro de Paula, a proposta é aproximar a academia a fim de que possam acrescentar olhares diferenciados e diversificados em projetos propostos ao edital. “Queremos nos aproximar dessas propostas e fazer cada vez mais um edital plural e que contemple as diversas cenas da cidade”, afirmou o diretor-presidente da Manauscult. 

 

“Contemplar a diversidade é um dos princípios acadêmicos e entendemos que não podemos estar distantes dessa produção local, do pensar a sociedade. Essa inserção da Academia é essencial”, afirmou a coordenadora do programa de Pós-Graduação em Comunicação da Ufam, Maria Emilia Abbud. 

 

Mostras, oficinas, festivais, intercâmbio e publicações são exemplos de projetos que podem ser contemplados. 

 

 

Conexões Culturais 

 

O Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais destinará R$ 2 milhões para o fomento de projetos em Artes e Cultura. Serão contemplados até 75 projetos, divididos em quatro módulos financeiros: 20 prêmios no valor de R$ 10 mil, 15 prêmios de R$ 20 mil, 30 prêmios de R$ 30 mil e dez prêmios de R$ 60 mil. Esta é a principal novidade do edital: as propostas podem ser feitas por módulo financeiro, sem a necessidade de categorizar em um segmento artístico-cultural como, por exemplo, produção, montagem ou intervenção urbana. Assim, os projetos podem ser abertos, sem fronteiras entre as linguagens, com estímulo à inovação e criatividade. 

 

 

Comissão de Seleção

 

Artistas, produtores culturais e entidades culturais terão até o dia 2 de junho para indicarem cinco membros da sociedade civil para integrarem a Comissão de Seleção do Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais. A iniciativa inédita da Prefeitura de Manaus prevê a indicação de nomes por meio de formulário disponível no site vivamanaus.com, no banner Editais.

 

Todos os detalhes constam no edital completo, disponível no site vivamanaus.com/editais, junto com todos os formulários necessários para a inscrição. O edital foi publicado no Diário Oficial do Município (DOM) do dia 18 de maio.

 

Aproximação pode ser o caminho para o fortalecimento dos grupos de pesquisa na Amazônia

 

A proposta foi discutida por representantes e coordenadores de grupos de pesquisa mantidos por universidades de estados da região Amazônica, em mesa redonda promovida no segundo dia do Intercom Norte 2017

 

Firmar novas parcerias como forma de aproximação foi uma das possibilidades apresentadas para integrar os cursos de pós-graduação em Comunicação das universidades da região amazônica, durante o Encontro de Grupos de Pesquisa, que reuniu pesquisadores e professores de instituições do Amazonas, Pará, Tocantins, Roraima e Rondônia, no segundo dia do Congresso de Ciências da Comunicação na Região Norte (Intercom Norte 2017), na Faculdade Boas Novas, em Manaus.

 

Durante o encontro, os representantes dos programas destacaram avanços, conquistas e também os desafios para a implementação e fortalecimento dos mesmos. Coordenador do Laboratório de Estudos Interdisciplinares em Comunicação (Labicon) da Ufam, o prof. Dr. Jonas Gomes Júnior destacou a importância das parcerias firmadas com instituições do Pará, Tocantins, Roraima, Rondônia e também do Amazonas para os 12 projetos em andamento no âmbito da iniciação científica e do mestrado. “Conseguimos trabalhar teoria e prática, mas as parcerias são fundamentais”, pontuou.

 

Para a coordenadora do Grupo de Pesquisa Mediação, prof. Dra. Mirna Feitoza, a integração é fundamental para fortalecer os grupos de pesquisa. Ela, que foi coordenadora do PPGCCOM da Ufam por quatro anos, destacou a relevância das conquistas do programa e das parcerias firmadas com outras instituições para o desenvolvimento, inclusive, dos grupos e projetos de pesquisa, como o Mediação, que possui atualmente sete projetos financiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas (Fapeam). “Esses são os números, mas o que nos interessa são as possibilidades de trabalhar em conjunto”, declarou.

 

Coordenador do Trokano – grupo de pesquisa em Comunicação, Cultura e Amazônia, da Ufam, o prof. Dr. Allan Rodrigues apresentou os principais projetos desenvolvidos: Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo na e sobre a Amazônia (Labjam), que analisa as coberturas sobre a prática jornalística na e sobre a região; Pibex Portal da Ciência, uma revista eletrônica publicada desde 2014; e o Ciência na Pauta, mais nova produção, que se trata de um boletim eletrônico criado este ano com o objetivo de popularizar a produção científica da Ufam. Para Rodrigues, o intercâmbio de informações entre os programas pode enriquecer os projetos desenvolvidos em cada instituição.

 

Quem também aposta em um olhar voltado para a integração da Amazônia é a prof. Dra. Netila Silva dos Anjos, da Universidade Federal do Pará (UFPA), que apresentou o grupo de pesquisa sobre História da Mídia na Amazônia. Segundo ela, o grupo surgiu a partir de uma pesquisa sobre a história da mídia no Pará, mas hoje o “olhar” está direcionado para toda a região. “A proposta é essa, estudar a história da mídia na nossa região como um todo”, explicou. 

 

Professor Dr. da Universidade Federal de Roraima (UFRR), Vilson Santi falou sobre os desafios do Núcleo de Pesquisa em Semiótica da UFRR e ressaltou que eventos como o Intercom são fundamentais para estreitar relações entre os programas da região amazônica. “As iniciativas ainda são muito pontuais, infelizmente, por uma série de questões. Mas discussões como esta são de suma importância para traçarmos uma estratégia de aproximação”, apontou. 

 

O professor doutor da Universidade Federal de Rondônia (Unir), Sandro Colferai, compartilha da mesma opinião de Santi. Para ele, falta colocar em prática os planos e projetos de integração regional. “Temos uma série de possibilidades de aproximação, mas temos pouco espaço para conhecer e discutir essas possibilidades e isso colabora para que não concretizemos o que tanto falamos aqui. É preciso aproveitar essas oportunidades”, alertou. 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Representantes da Universidade Federal de Tocantins (UFT), a prof. Dra. Verônica Meneses e o prof. Dr. Gilson Porto Júnior destacaram as atividades desenvolvidas pelo Grupo de Pesquisa em Jornalismo e Multimídia e pelo Observatório de Pesquisas Aplicadas ao Jornalismo e ao Ensino (Opaje), que atualmente possuem 19 projetos em andamento. As parcerias, revelaram eles, são fundamentais para a execução dos projetos. O mesmo apontou a prof. Dra. Da Universidade Federal do Pará (UFPA), Maria Ataíde Malcher, sobre os projetos desenvolvidos pelo grupo de pesquisa Interações e Tecnologias na Amazônia. 

 

Por fim, o professor Dr. Renan Albuquerque, do PPGCCOM da Ufam, destacou a importância dos convênios firmados com instituições como Fiocruz, USP e PUC-SP para possibilitar a produção científica, que nos últimos quatro anos somou 15 publicações de artigos científicas em revistas e cinco livros publicados, entre outras conquistas. Para ele, a integração pode ser uma alternativa viável aos grupos de pesquisa, especialmente em tempos de crise e corte de repasses de verba. “O financiamento tem sido bem difícil, mas temos buscado atuar de forma integrada até para dividir os custos”, afirmou.

 

 

Cenário dos cursos de pós-graduação da Amazônia é tema de mesa redonda no Intercom Norte

 

Coordenadores dos programas de pós-graduação em Comunicação pioneiros na Amazônia apostam na integração entre as universidades como forma de fortalecer a presença delas na região amazônica e no resto do Brasil e do mundo 

 

Avanços e desafios da pós-graduação na Amazônia. Este foi tema o debate da mesa redonda que deu início ao segundo dia do Congresso de Ciências da Comunicação na Região Norte (Intercom Norte 2017) na Faculdade Boas Novas, em Manaus. Participaram da mesa os coordenadores dos três cursos pioneiros na pós-graduação em Comunicação na Amazônia: professora Dra. Maria Emília Abbud, do Programa de Pós Graduação em Ciências da Comunicação (PPGCCOM) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam); professora Dra. Elaide Martins do PPGCOM da Universidade Federal do Pará (UFPA); e os professores doutores Veronica Meneses e Gilson Porto Junior, da Universidade Federal de Tocantins (UFT). 

 

Na ocasião, os coordenadores apresentaram uma breve história da trajetória dos programas e ressaltaram o atraso na implementação de cursos de pós-graduação na Amazônia. “O primeiro curso de pós-graduação em Comunicação do Brasil foi implantado em 1970, mas, na Região Norte, o primeiro chegou em 2008”, ressaltou professora Elaide Martins, da UFPA. O pioneiro é o PPGCCOM da Ufam. Dois anos depois em 2010, a UFPA conseguiu implantar o programa de Comunicação e, seis anos mais tarde, a UFT implantou seu programa de pós-graduação em Comunicação. 

 

Para Elaide, uma das dificuldades que a pós-graduação enfrenta diante do cenário geográfico da Amazônia é o difícil acesso para participação dos alunos em congressos e eventos nas demais cidades brasileiras. “É um desafio a mais”, pontuou.

 

Interdisciplinaridade

 

Os programas trabalham com a ideia de comunicação interdisciplinar, que envolve outras áreas e níveis de formação. Administração, fisioterapia, direito, design gráfico são algumas das áreas já conectadas ao curso de Comunicação na Ufam, aponta Maria Emília Abbud, coordenadora do PPGCCOM da Ufam, para quem o maior desafio do programa é buscar harmonizar o tripé da universidade: ensino, pesquisa e extensão. “Precisamos estabelecer metas para fortalecer todos os programas, e não apenas um ou outro, de forma específica”, apontou. 

 

Além de conectar a pós-graduação dentro das universidades, é preciso amplificar o diálogo com os cursos do Norte para reforçar a identidade da Amazônia, afirma o professor Gilson Porto Júnior da UFT. “Nossa meta com o programa é também desenvolver e integrar a região”, comentou. 

 

Parcerias com universidades da Amazônia com programas já consagrados, como o da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) estão sendo estabelecidas com o intuito de integrar Amazônia às demais regiões do Brasil. “É preciso assumir que o cenário é desafiador e que precisamos de parcerias para nos fortalecer”, afirmou a coordenadora do PPGCCOM da Ufam, Maria Emília Abbud.

 

Programa de Pós-Graduação da Ufam marca presença no Intercom Norte 2017

 

Defesa de trabalhos nas Divisões Temáticas, promoção do  ‘I Colóquio de Jornalismo Digital na Amazônia UFPA/Ufam’ e participação no ‘Seminário Interprogramas de Pós-Graduação do Amazonas’ estão entre contribuições do PPGCCOM/Ufam para o maior encontro de Comunicação da região, que vai de quarta (24) até sexta (26)

 

Com o maior número de inscritos em todas as edições realizadas no Norte do País, o Congresso de Ciências da Comunicação na Região Norte (Intercom Norte 2017) começa hoje e segue até sexta-feira, na Faculdade Boas Novas (FBN), Zona Sul da capital. Com o tema "40 anos de Memórias e Histórias", o evento oferta mais de 580 vagas em oficinas e minicursos, além de palestras, mesas-redondas, atrações culturais, e uma vasta programação que inclui a apresentação de trabalhos produzidos no âmbito do Programa de Pós Graduação em Ciências da Comunicação (PPGCCOM) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). 

 

A abertura oficial foi programada para as 20h desta quarta (24), mas a manhã conta com a realização de várias oficinas e minicursos e com o “Encontro das Mulheres Jornalistas do Amazonas”, mediado pela professora Ivânia Vieira, com participação das jornalistas Daniela Assayag, Amanda Mota, Jonária França, Valéria Costa e Elaíze Farias.  A programação e ensalamento das oficinas e minicursos pode ser consultada no link https://goo.gl/Mw5QBp.

 

Durante a tarde acontece o Fórum Ensicom Regional Norte – Seminário Ensino de Comunicação, que deve reunir coordenadores de cursos de Comunicação da região. Entre os participantes estão o coordenador do curso de Jornalismo da Ufam, Prof. Me. João Bosco Ferreira, e a coordenadora do curso de Relações Públicas da Ufam, Profa. Me. Aline Lira.

 

A quinta-feira (25) começa com a exposição de trabalhos na Expocom, a partir das 8h. O ensalamento e programação podem ser conferidos no link https://goo.gl/k8s5r9. A partir das 8h30 acontece o “Seminário Interprogramas de Pós-Graduação do Amazonas”, que reúne coordenadores de programas para discutir os avanços e desafios da pós-graduação na região amazônica. Entre os participantes estão a coordenadora do PPGCCOM da Ufam, Profa. Dra. Maria Emília Abbud, e o coordenador do Programa de Pós-Graduação em Sociedade e Cultura na Amazônia (PPGSCA) da Ufam, Prof. Dr. Allan Rodrigues. 

 

O segundo dia do evento terá ainda encontros e mesas redondas, e a programação deste dia será encerrada com uma palestra do designer alemão Hans Donner, mundialmente conhecido por seu trabalho junto à Rede Globo de televisão.

 

O último dia de Intercom, sexta-feira (26), contará com a apresentação de trabalhos produzidos no âmbito do PPGCCOM da Ufam nas Divisões Temáticas (DTs) e Intercom Jr (IJs), que acontecerão entre 8h e 12h, em diferentes locais. 

 

Entre os trabalhos desenvolvidos por mestrandos do PPGCCOM da Ufam nas DTs estão os artigos “Apontamentos sobre as redes sociais digitais na perspectiva dos ecossistemas comunicacionais”, de Gabriel de Souza Oliveira e Mirna Feitoza Pereira, que será apresentado na DT05 - Comunicação Multimídia, e abordará uma perspectiva relacional entre a comunicação por meio das redes sociais digitais e os ecossistemas comunicacionais para a compreensão dos fenômenos culturais que emergem desse ambiente; “Ecossistemas Comunicacionais e Educomunicação: uma contribuição para o homem da Amazônia”, de Keila Zanatto e João Luiz de Souza, no DT06 – Interfaces Comunicacionais, que vai abordar a educomunicação sob a ótica dos ecossistemas comunicacionais, a partir de uma análise da atuação do Centro de Mídias de Educação do Amazonas – projeto que utiliza meios de comunicação para ultrapassar barreiras geográficas e levar educação às comunidades amazonenses; e “Uma visão ecossistêmica sobre o manejo de pirarucu na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá”, de Monica Prestes e Renan Albuquerque, também no DT06 – Interfaces Comunicacionais, que trata das implicações comunicacionais no processo de manejo do maior peixe de escamas de água doce do mundo, fundamental para a sobrevivência de populações tradicionais em harmonia com a preservação do meio ambiente, e propõe uma visão ecossistêmica para a gestão de projetos de manejo em áreas protegidas da Amazônia. A programação detalhada e o ensalamento estão disponíveis no link https://goo.gl/CjCO6g.

 

Ainda na manhã de sexta-feira, o PPGCCOM da Ufam estará presente no  I Colóquio de Jornalismo Digital Na Amazônia UFAM/UFPA, por meio professora do PPGCCOM da Ufam e coordenadora do Laboratório Experimental de Jornalismo em Rede (Lab F5), Mirna Feitoza, alem da jornalista, editora do Lab F5 e mestranda do PPGCCOM Jéssica Botelho, que dividem a mesa com a vice-coordenadora do PPGCOM da UFPA e coordenadora do Grupo de Pesquisa Interações e Tecnologias na Amazônia (ITA), Elaide Martins e com o integrante do Grupo de Pesquisa Comunicação, Consumo e Identidade - Consia da UFPA e coordenador geral da Na Cuia - Produtora Cultural, Matheus Botelho.

 

De 14h às 18h estão previstas as apresentações dos trabalhos aprovados no Intercom Júnior, cuja programação e ensalamento constam no link https://goo.gl/7ANbaI. A tarde de sexta contará ainda com a palestra “Jornalismo Popular e Comunitário”, com o apresentador e jornalista Wilson Lima, com a Mesa Redonda “40 anos de Intercom: memórias e histórias na Região Norte”, a partir das 17h, no auditório Ana Lúcia Câmara. A premiação da Expocom e o encerramento do Intercom Norte 2017 acontecem às 19h. A programação completa do evento está disponível em https://goo.gl/uPGW1M.

 

 

 

 

UFAM e UFPA promovem o I Colóquio de Jornalismo Digital na Amazônia

colóquio amazoniaO evento integra a programação do Intercom Norte e ocorre no próximo dia 26 de maio, às 10h, na Faculdade Boas Novas, em Manaus


O I Colóquio de Jornalismo Digital na Amazônia reunirá experiências de ensino, pesquisa e extensão desenvolvidas nos cursos de Jornalismo e pós-graduação em Comunicação das universidades federais do Amazonas e do Pará relacionadas à prática do jornalismo digital. O evento ocorrerá no próximo dia 26 de maio, às 10h, na Faculdade Boas Novas, e integra a programação do XVI Congresso de Ciências da Comunicação na Região Norte.

 

A mesa será composta por Mirna Feitoza, professora do PPGCCOM e coordenadora do Laboratório Experimental de Jornalismo em Rede (Lab F5); Jéssica Botelho, jornalista, editora do Lab F5 e mestranda do PPGCCOM-Ufam; Elaide Martins, vice-coordenadora do PPGCom-UFPA e coordenadora do Grupo de Pesquisa Interações e Tecnologias na Amazônia (ITA), e pelo estudante de jornalismo Matheus Botelho, integrante do Grupo de Pesquisa Comunicação, Consumo e Identidade - Consia da UFPA e coordenador geral da Na Cuia - Produtora Cultural.

 

Além de promover a interlocução entre os expositores da Ufam e da Ufpa, a proposta do evento é abrir diálogo com o público presente para conhecer as experiências desenvolvidas nas demais universidades na área do jornalismo digital na região. “Queremos conhecer essas experiências e quem sabe construir caminhos de atuação em conjunto no ensino, na pesquisa e na extensão”, disse a professora Mirna Feitoza.       

 

Ações em conjunto na área

 

O primeiro diálogo entre os expositores do I Colóquio de Jornalismo Digital na Amazônia ocorreu por meio do Papo Criativo sobre “Jornalismo em Rede: a experiência do Lab F5 - UFAM”, promovido em abril deste ano e realizado através de videoconferência. Na ocasião, a professora Mirna Feitoza e a jornalista Jéssica Botelho foram convidadas a compartilhar suas experiências ao longo dos quatro anos que estão à frente do Lab F5.

 

A atividade teve como público principal os estudantes de Jornalismo da Universidade Federal do Pará - UFPA, que desenvolveram produtos jornalísticos de diferentes formatos e temas para plataformas web sob a supervisão das professoras Lorena Esteves e Monique Igreja, dentro do Laboratório de Jornalismo Digital e Novas Mídias do curso de Comunicação Social - Jornalismo. "A experiência de aprender na prática os conceitos que estudamos em sala de aula é enriquecedora, tanto no âmbito educacional quanto no âmbito profissional. Agora, propomos estender esta iniciativa entre as demais instituições de ensino em jornalismo da Amazônia", comenta Matheus Botelho, estudante de jornalismo e bolsista Pibic/PRODOUTOR do Grupo de Pesquisa Comunicação, Consumo e Identidade - Consia/UFPA.


O Papo Criativo é uma ação extensionista realizada pelo Grupo de Pesquisa Consia da UFPA, coordenado pela professora Manuela do Corral, com o intuito de promover a relação de debates e análises de conteúdos afins às pesquisas do grupo e que possam contar com a participação e as trocas de experiências e percepções, tanto dos integrantes do grupo quanto do público externo.

 

Quanto ao colóquio, o que se destaca da trajetória dos expositores é o objetivo em comum de desenvolver a formação acadêmica e profissional de futuros jornalistas envolvendo projetos de ensino, pesquisa e de extensão, utilizando ferramentas e processos oriundos do contexto digital. Além disso,  também refletem sobre novas questões dessa sociedade em rede, trazendo para o debate público temas como o impacto da inclusão digital em pequenas comunidades, o trabalho de youtubers na cena local, as novas configurações do jornalismo no ambiente conectado, dentre outros. “Queremos que esse colóquio seja mais do que uma troca de experiências e conhecimento sobre o jornalismo digital, sobretudo, que possa contribuir com o debate sobre as problemáticas que as novas configurações do jornalismo estão trazendo na atualidade, ajudando a buscar soluções e novos horizontes”, ressalta a professora Elaide Martins, da UFPA.

 

O I Colóquio de Jornalismo Digital na Amazônia busca evidenciar a elaboração e a implementação de projetos universitários como elemento fundamental para a formação profissional dos futuros jornalistas, de forma que estejam aptos a problematizar e solucionar situações pertinentes a esse cenário. “Nós sabemos que assim como a UFAM e a UFPA, outros cursos de Jornalismo da Região Norte também desenvolvem projetos voltados para o jornalismo digital, seja em pesquisa, ensino ou extensão. Nosso maior objetivo é conhecer essas experiências, trocar ideias e, quem sabe, iniciar a construção de uma rede amazônica de jornalismo e Internet”, diz Jéssica Botelho

 

O I Colóquio de Jornalismo Digital na Amazônia é uma iniciativa de professores, pesquisadores  e estudantes dos cursos de Jornalismo e dos Programas de Pós-Graduação em Comunicação da UFAM e da UFPA, por meio dos grupos de pesquisa Mediação (CNPq/Ufam), Grupo de Pesquisa Interações e Tecnologias na Amazônia (ITA), Grupo de Pesquisa Comunicação, Consumo e Identidade - Consia (CNPq/UFPA),  e do projeto Na Cuia - Produtora Cultural, com apoio do Intercom Norte.

 

Serviço

 

O quê: I Colóquio de Jornalismo Digital na Amazônia UFAM|UFPA

Quando: 26 de maio, das 10h às 12h

 

 

 

 

Sub-categorias