Home

PPGCCOM seleciona bolsista pesquisador em nível de pós doutorado pelo PNPD/CAPES

 

Inscrições vão até as 23h59 do dia 2 de junho. Candidato selecionado receberá bolsa de R$ 4,1 mil 

 

A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesp) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) lançou edital para a seleção de um bolsista pesquisador em nível de pós-doutorado pelo Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação (PPGCCOM), no âmbito do Programa Nacional de Pós-Doutoramento (PNPD) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). As inscrições vão até as 23h59 (horário de Brasília) do dia 2 de junho, pelo email O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

 

O selecionado terá direito a uma bolsa em nível de pós-doutorado de R$ 4.100,00, por doze meses, prorrogável nos casos previstos na legislação específica. O PNPD/CAPES prevê ainda recursos de custeio destinados a subsidiar atividades de pesquisa do bolsista, tais como a sua participação em eventos, como congressos, encontros e simpósios. 

 

Confira o edital completo em https://goo.gl/v52eVH

 

 

Sobre o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação (PPGCCOM) da Ufam:

 

 Reconhecido por ser o primeiro mestrado acadêmico em Comunicação na região Norte do Brasil, o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade Federal do Amazonas, foi aprovado em 2007 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em 2007. Com uma proposta inovadora que constitui uma abordagem interdisciplinar e transdisciplinar que busca compreender as problemáticas da comunicação na e para a Amazônia, o PPGCCOM UFAM desenvolve pesquisas na área de concentração de “ecossistemas comunicacionais”, que abrange estudos sobre os processos de organização, transformação e produção das mensagens conformadas a partir das interações entre sistemas sócio-culturais-tecnológicos em duas linhas de pesquisa.

 

 

I Colóquio de Teorias da Comunicação – Interconexão! reúne mais de 100 pessoas no ICHL

 

Aberto a outras instituições, evento promoveu a integração entre graduação e mestrado por meio da reflexão teórica sobre os objetos de estudo da comunicação


O Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação (PPGCCOM) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) realizou, no dia 3 de abril, no Auditório Rio Negro, no Instituto de Ciências Humanas e Letras (ICHL), o I Colóquio de Teorias da Comunicação -  Interconexão!, que promoveu a integração entre alunos da graduação e pós-graduação a partir da reflexão teórica sobre os objetos de estudo da comunicação social.

 

O evento, que era aberto a acadêmicos e profissionais de outras instituições, teve a participação de mais de 100 pessoas, entre estudantes, professores e pesquisadores. A programação começou às 9h e contou com a presença da coordenadora do PPGCCOM, Profa. Dra. Maria Emília Abbud, dos coordenadores dos cursos de graduação em jornalismo e relações públicas - Antônio José e Judy Tavares - além da Profa. Dra. Mirna Feitoza Pereira, coordenadora-geral do evento, que integraram a primeira mesa. 

 

Abbud apresentou o conceito de ecossistemas comunicacionais, área de concentração do PPGCCOM da Ufam, e destacou a importância do estudo dos fundamentos do pensamento comunicacional. “Ressaltamos o pioneirismo do nosso programa, o primeiro mestrado do Brasil a adotar essa proposta inovadora no estudo da comunicação”, afirmou. 

 

A Profa. Dra. Mirna Pereira falou sobre a importância de eventos como este, que promovem o debate e as interações entre graduandos e mestrandos. “O objetivo central é promover a integração entre graduação e pós-graduação por meio das teorias da comunicação”, explicou a coordenadora do evento. De acordo com ela, a ideia do colóquio surgiu a partir de discussões em sala de aula na graduação, com a proposta de levar a discussão para além da sala de aula. “E a integração com a turma de mestrado do PPGCCOM se mostrou o melhor caminho”, disse.  

 

O professor Antônio José ressaltou a importância de uma discussão sobre as teorias da comunicação em um momento de reformulação da grade curricular do curso de jornalismo, que está em curso. “Encontros como esses são necessários para avançarmos em outros caminhos que nos colocam para pensar nas transformações necessárias para que novas cabeças surjam do curso e possam fazer, na prática, essas mudanças. Precisamos fazer essa ponte entre o que a gente pesquisa e o que a gente vive”, declarou. 

 

 Por volta de 10h, a Profa. Dra. Mirna Pereira mediou os “diálogos impertinentes sobre as teorias da comunicação”, uma roda de conversas entre alunos da graduação e do mestrado que abordou discussões sobre o objeto de estudo e a epistemologia da comunicação, além de ressaltar a importância do exercício teórico-reflexivo e da transdisciplinaridade, necessários aos estudos das teorias da comunicação, aí inclusos os ecossistemas comunicacionais. “Essa transdisciplinaridade está representada aqui neste colóquio, que reúne profissionais de diversas áreas, como design e saúde, para debater as teorias da comunicação. É um tema que nos constitui enquanto profissionais dentro de uma determinada área”, afirmou. 

 

Após os estudantes de graduação e mestrado falarem sobre suas experiências e impressões acerca dos estudos das teorias da comunicação, foi realizado um intervalo e, por volta de 14h30, a programação do colóquio foi retomada com os “Caminhos Teóricos da Comunicação”, uma série de apresentações ministradas pelos alunos do mestrado do PPGCCOM sobre as teorias da comunicação. Teorias clássicas, culturais, cibercultura, teorias latinoamericanas e os ecossistemas comunicacionais estavam entre os temas abordados pelos alunos do mestrado Fábio Botelho, Gabriel Oliveira, Juan Lira, Keila Zannato, Leigiane Cardoso, Márcio Vieira, Mauro Souza e Monica Prestes.

 

Produção

 

Por fim, o graduando em Relações Públicas e membro do Grupo de Pesquisa Comunicação Social: Estudos Interdisciplinares, Mateus da Silva Bento, apresentou os resultados do Projeto de Iniciação Científica “Ecossistemas Comunicacionais: uma análise acerca da produção científica brasileira”, desenvolvido na Ufam com o objetivo de analisar a produção científica brasileira sobre os ecossistemas comunicacionais. Ele apontou que 32 trabalhos foram produzidos por pesquisadores da Amazônia e 13 em outras regiões do País. “A perspectiva dos ecossistemas comunicacionais contribui para a compreensão da comunicação enquanto fenômeno que entrelaça sistemas sociais, naturais e tecnológicos”, afirmou.

 

A comissão organizadora do Interconexão! teve, na coordenação geral, a Profa. Dra Mirna Feitoza Pereira. Da coordenação executiva fizeram parte os discentes Fábio Botelho, Gabriel Oliveira, Jéssica Botelho, Juan Lira, Keila Zannato, Leigiane Cardoso, Márcio Vieira, Mauro Souza e Monica Prestes.

 

 

Sobre o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação (PPGCCOM) da Ufam:

 

 Reconhecido por ser o primeiro mestrado acadêmico em Comunicação na região Norte do Brasil, o Programa de Pós-Graduação em Ciências da Comunicação da Universidade Federal do Amazonas, foi aprovado em 2007 pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) em 2007. Com uma proposta inovadora que constitui uma abordagem interdisciplinar e transdisciplinar que busca compreender as problemáticas da comunicação na e para a Amazônia, o PPGCCOM UFAM desenvolve pesquisas na área de concentração de “ecossistemas comunicacionais”, que abrange estudos sobre os processos de organização, transformação e produção das mensagens conformadas a partir das interações entre sistemas sócio-culturais-tecnológicos em duas linhas de pesquisa.

 

 

 

 

Mediação tecnológica na educação de nível superior e os Desafios do Desenvolvimento Sustentável são tema de Aula Magna dos PPGs da Ufam

 

Palestra que marcou a abertura do I período dos Programas de Pós-Graduação  foi ministrada pelo Professor MSc. Carlos Alberto Pereira de Oliveira, Mestre em Educação pela UFRJ

A transformação das Instituições de Ensino Superior (IESs) em universidades digitais com o uso intensivo de mediação tecnológica nas atividades de ensino, pesquisa e extensão, promovendo a educação móvel, e enfrentando os desafios para atingir as metas propostas pela Organização das Nações Unidas (ONU) nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável 2030 (ODS 4.3), foi o tema central da Aula Magna do I período dos Programas de Pós-Graduação da Universidade Federal do Amazonas (Ufam). A palestra foi ministrada pelo Professor MSc. Carlos Alberto Pereira de Oliveira, Mestre em Educação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), na tarde de ontem, no auditório Rio Amazonas, localizado na Faculdade de Estudos Sociais (FES).


Com o título "As Universidades Digitais e o ODS 4.3: a mediação tecnológica e a integridade da produção acadêmica", a aula magna abordou a importância do uso da tecnologia, de recursos educacionais abertos e da educação à distância para assegurar a educação inclusiva, equitativa e de qualidade e para "diminuir a lacuna entre o que é ensinado em instituições de educação terciária, incluindo universidades, e o que economias e sociedades demandam". Com foco nos PPGs da Ufam, Oliveira ressaltou a importância da integração entre pesquisa e sociedade.


"Isso sem esquecer de pensar nos vínculos do ODS 4.3 com a universidade até 2030, de forma a definir quais as metas para esse período e aliar o conhecimento produzido com a realidade local", ressalta Oliveira, destacando que esta foi a primeira vez que a Unesco propôs uma série de discussões que pressupõem um tipo de educação superior que já não é mais uma mera repetição de conhecimentos que não refletem a necessidade regional.  "E isso, para uma universidade como a Ufam, com tanto compromisso com a região amazônica, é estratégico porque a ODS 4.3 reconhece a importância de uma universidade voltada para atender às suas especificidades regionais: ribeirinhos, indígenas, centro urbano, mas também voltada para uma vocação de desenvolvimento tecnológico com a Zona Franca", explicou.


O desafio, aponta o professor, é ampliar fundamentalmente o acesso à educação superior e implantar o que ele chama de "life long education", que é o conceito de educação para a vida inteira. E, para isso, a mediação tecnológica é estratégica. No entanto, para isso é preciso superar desafios que vão da capacitação do profissional que vai trabalhar com essa mediação tecnológica a questões estruturais dos campi. "A educação móvel é estratégica para ampliar o acesso à educação, sobretudo em regiões como a amazônica, mas antes é preciso traçar objetivos e conhecer a realidade interna das instituições. Antes de levá-la para a comunidade, precisamos conhecer quem somos", afirmou.

 


Evento

 

A Aula Magna do Professor MSc. Carlos Alberto Pereira de Oliveira foi precedida de uma solenidade de homenagem aos discentes e docentes dos PPGs da Ufam que mais se destacaram no ano de 2016. Após indicação das coordenações dos programas, uma comissão escolheu dez discentes e dez docentes que tiveram publicações mais relevantes ao longo do ano. Os certificados foram entregues pela reitora da Ufam, Márcia Perales, que destacou a importância de estratégias que levaram os cursos de pós-graduação para o interior do Amazonas, como o Doutorado Intrainstitucional, no crescimento dos programas. "Esse foi um passo muito importante na qualificação da pesquisa e na aproximação com a sociedade", afirmou.


 

Quem também destacou o crescimento dos PPGs da Ufam foi o Pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação da Ufam, Gilson Monteiro, que revelou que, em 2016, os programas receberam 2.090 alunos de mestrado e 912 de doutorado, com mais de 107 artigos publicados em jornais e revistas, centenas publicados em periódicos e mais de mil em anais de eventos.


"Esses números refletem o crescimento dos Programas de Pós-Graduação da Ufam. A universidade só vai atingir sua meta quando a ciência que ela produz responder as perguntas da sociedade. Publicar para a ciência é prestar contas do dinheiro público que é investido aqui", disse.

Comissão Permanente de Produção Editorial do Programa de Pós-Graduação de Ciências da Comunicação (PPGCCOM) ganha novos membros

 

Comissões têm o objetivo de fomentar publicações e produções acadêmico-científicas para os anos de 2017 e 2018 e dar suporte a eventos promovidos pelo programa

 

A Coordenação Permanente de Produção editorial do Programa de Pós-Graduação de Ciências da Comunicação (PPGCCOM) da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) integrou dois novos membros: o professor doutor Wilson Nogueira e a mestranda do PPGCCOM Keila Zanatto. 

 
A Comissão Permanente de Produção Editorial também é composta pelos discentes Mauro Roberto Freire de Souza, Fábio Reis Botelho e Márcio Raphael Vieira da Silva. A CP de Produção Editorial é responsável pelo desenvolvimento de ações voltadas à publicação de conhecimentos no âmbito do PPGCCOM, em suas atividades de Ensino, Pesquisa e Extensão.
 
As Comissões Permanentes estão inseridas no Plano Anual de Atividades do PPGCCOM – 2016 e têm o objetivo de fomentar publicações e produções acadêmico-científicas para os anos de 2017 e 2018, considerando a Coleta Capes dos anos vindouros, além de ajudar na organização de eventos que venham a ser promovidos dentro do âmbito do programa.

 

 

Intercom Norte 2017 abre inscrições nesta quinta (16.03) para evento que será realizado na Faculdade Boas Novas, em Manaus

 

Estudantes, pesquisadores e profissionais da Comunicação devem ficar atentos aos prazos para submissão de trabalhos e participação no evento, que este ano acontece nos dias 24, 25 e 26 de maio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Manaus vai sediar o XVI Congresso de Ciências da Comunicação na Região Norte (Intercom Norte), que será realizado entre os dias 24 e 26 de maio na Faculdade Boas Novas, no bairro Japiim, Zona Zul da capital amazonense. As inscrições começam dia 16 de março e vão até 8 de maio. Em 2017, o XVI Intercom Norte, terá como tema principal “40 anos de Memórias e Histórias”, em alusão aos 40 anos do Intercom nacional, que este ano acontecerá na Universidade Positivo, em Curitiba, no Paraná. 

 

Estudantes de graduação e recém graduados, professores, pesquisadores, graduados, especialistas, mestrandos, mestres, doutorandos e doutores podem se inscrever para apresentação de trabalhos nas Divisões Temáticas (DT) e Intercom Júnior, exposição de pesquisas experimentais em Comunicação (Expocom) e ainda para participar de eventos complementares, como painéis, oficinas, minicursos e lançamento de produtos científicos. Mas, para isso, devem ficar atentos ao prazo de submissão dos trabalhos, que vai de 16 de março a 12 de abril. O prazo final é o mesmo para as Instituições de Ensino Superior (IES) que pretendem indicar trabalhos e alunos para participação no Expocom como líderes. Quem pretende enviar trabalhos deve ficar atento ao prazo para o pagamento do boleto da taxa de inscrição, que é até 10 de abril. As respostas sobre os trabalhos selecionados serão divulgadas no dia 28 de abril.

 

Os trabalhos serão apresentados em sessões correspondentes de acordo com oito subáreas temáticas que agrupam os diversos campos comunicacionais na área científica da Intercom: Jornalismo; Publicidade e Propaganda; Relações Públicas e Comunicação Organizacional; Comunicação Audiovisual; Comunicação Multimídia; Interfaces Comunicacionais; Comunicação, Espaço e Cidadania; e Estudos interdisciplinares da Comunicação. Mais informações sobre o congresso podem ser obtidas na página www.intercomnorte.com.br .

 

Valores

 

As taxas de inscrição para o XVI Intercom Norte variam de acordo com a proximidade do evento, por isso é bom não deixar para a última hora. Com antecedência, além de garantir a participação – já que as vagas são limitadas -, é possível reduzir o custo em mais de 50%. Para estudantes de graduação e recém-graduados (2016-2017), a inscrição custa R$ 40 de 16 de março a 10 de abril; R$ 50 de 11 de abril a 2 de maio; e R$ 65 de 3 de maio a 8 de maio. Estudantes de pós-graduação pagam R$ 100 para se inscrever de 16 de março a 10 de abril; R$ 145 de 11 de abril a 2 de maio; e R$ 165 de 3 a 8 de maio. 

 

 Para professores e pesquisadores, a taxa é de R$ 220 de 16 de março a 10 de abril; R$ 255 de 11 de abril a 2 de maio; e R$ 275 de 2 a 8 de maio. Já os profissionais da área precisam pagar taxa de inscrição no valor de R$ 330 de 16 de março a 10 de abril; R$ 385 de 11 de abril a 2 de maio; e R$ 440 de 3 a 8 de maio. Sócios da Intercom com anuidade 2017 quitada são isentos. 

 

Sub-categorias